A MESMA ÁRVORE – 16/1/17

a mesma arvore

Em Brotomirim, ou nome parecido, tem um povoado que não mudou muito ao longo dos anos. Um repórter nosso, especial, conseguiu captar a conversa ocorrida em 12 de janeiro de 1917 (das 18:45 até às 19:22) e, mais facilmente é claro, a mesma conversa em 12 de janeiro de 2017 (das 19:15 às 21:30).

Vamos aos registros.

1917

Ao entardecer, embaixo de uma árvore, dois caboclos, um fumando um cigarro de palha, outro cortando um graveto.

Joaquim           Alô compadre, chegou cedo hoje.

Zé Antonio     Boa noite compadre… é que saí da roça mais cedo hoje… senti um dor no lumbago.

Joaquim           Nada sério, espero.

Zé Antonio     Nada sério, somente uma dorzinha, mas não quis facilitar.

Joaquim           Tá certo compadre, com a saúde não se brinca. Te lembra do compadre Genoino?

Zé Antonio     Pois é, foi que foi, não quis se prevenir.

Joaquim           … achava bobagem remédios.

Zé Antonio     E assim se foi compadre Genoino, benza Deus.

Joaquim           Benza.

Zé Antonio     Será que esta minha dorzinha vem do tempo?

Joaquim           Como assim?

Zé Antonio     Sei lá, o tempo anda meio estranho ultimamente, parece que vai chover e não chove, parece que vai abrir e lá vai chuva…

Joaquim           Sei não, mas ao fim, a chuva veio quase a medida.

Zé Antonio     Ah… se veio, mas um pouquinho mais não faria mal.

Joaquim           Não faria não (e chupava o seu cigarrinho).

Zé Antonio     E o fumo que trouxe o Zé Geraldo é bom?

Joaquim           Bem…, bom, bom, não é, mas dá para o gasto.

Zé Antonio     Fumo bom, a se lembra, foi aquele do Dr. Raimundo.

Joaquim           A sim, aquele sim que era fumo e do bom.

Zé Antonio     Já não fumo mais, nem do bom nem do ruim.

Joaquim           E porque isso compadre? Já queria perguntar a uns tempos, porque largou o pito?

Zé Antonio     Ai, compadre, não via serventia nenhuma, e deixei, … deixei e está deixado.

Joaquim           Fez bem compadre, eu lá que não paro. Já estou acostumado.

Zé Antonio     Falando em fumo, você viu o Argelino…

Joaquim           Argelino…?

Zé Antonio     Sim o filho caçula do Ermenegildo, lá dos Cazares…

Joaquim           Ah sim, dos Cazares, mas que tem ele?

Zé Antonio     Ele fuma cigarros, ele diz que na cidade grande todos fumam cigarros, diz também que tem mulheres que fumam, as escondidas claro.

Joaquim           … já experimentei uma vez esse tal de cigarro… ruim como a peste… tem sabor de papel e não satisfaz… não, não satisfaz. Com um bom pito, fica horas sastifeito, … horas.

Zé Antonio     Falando em sastifação, viu como a roça do milho cresceu bem?

Joaquim           É mesmo, pena que a batatinha não quer pegar. Acho que a chuva atrasou uns quinze dias para ela engrossar.

Zé Antonio     Sei não, eu plantei na lua nova, e parece que vai pegar bem.

Joaquim           Sorte sua compadre, a chuva este ano, não foi bem regulada, aliais, faz anos que está meio arisca…, lembrou-me, quando moleque, que por S. Antonio, benza Deus, a chuva que tinha que chover tinha chovido e a lavoura crescia beleza.

Zé Antonio     É mesmo compadre, chover chove, mas não como antigamente, bem regular… aos seus dias.

Joaquim           Bem compadre, tenho que ir, … quero visitar compadre Fianzo que recebeu ontem o jornal da cidade… é coisa da guerra na Europa… parece que está cada vez mais pior…

Zé Antonio     Vai lá compadre, vai lá e um dia desses me conte alguma coisa dessa estupidez… a guerra… omessa… que serventia tem a guerra?

Joaquim           Sei lá compadre, o bom é nós não estarmos lá.

 

2017

Os dois amigos, em baixo da árvore, um pitando um cigarro de palha, o outro cortando um graveto.

Joaquim           Eta compadre… ontem você nem apareceu…

Zé Antonio     É mesmo compadre, tive que ir ao batizado do filho do meu sobrinho.

Joaquim           … o Aloiso, o lourinho…?

Zé Antonio     Sim, ele mesmo… casou faz uns meses e já teve um filhinho.

Joaquim           Bem… isso acontece… ele trabalha sim?

Zé Antonio     Na Volkswagen… é ferramenteiro, sei lá o que é isso …, é o que faz.

Joaquim           Volkswagen, umm …, a indústria automobilística, dizem na TV, não vai bem das pernas.

Zé Antonio     Também os outros setores não vão tão bem, por exemplo, a indústria dos vestuários regrediu de 18,75% em relação ao ano passado.

Joaquim           … são milhões de calças e saias que vão faltar… (risadinha)

Zé Antonio     Em compensação o preço médio dos remédios aumentou, pasme compadre, de 21,43%. Pode isso? Digo, pode isso? Comparado com o aumento do salário mínimo de 7,405%?

Joaquim           É… compadre a coisa está feia.

Zé Antonio     É mesmo, em compensação não temos a guerra em casa, como na Síria e outros países. Soube que em Aleppo, nos últimos dois meses os bombardeamentos aéreos dos russos, mataram mais de 20.000 civis… mulheres… crianças…

Joaquim           Sem contar os que fugiram para a Europa, parece que foram mais de três milhões, somente nos últimos 19 meses.

Zé Antonio     É, de fato, uma lambuzeira só, lá no oriente, mas aqui também não brincamos, viu os 77 mortos na cadeia de Manaus…?

Joaquim           … são 78, mais 4 na outra cadeia…

Zé Antonio     … não eram cinco, mas 33 no estado de…, sei lá, … não ouvi direito na TV.

Joaquim           Sim, mas o Governo o que fez? Tinha reduzido a verba da segurança nacional em 30,51% e agora teve que enviar as pressas armas e dinheiro para os Governos da Amazônia.

Zé Antonio     … e também para Mato Grosso e Rondônia.

Joaquim           Rondônia não; Rio de Janeiro.

Zé Antonio     Para o Rio o dinheiro foi para relevar a falência do estado, não para as cadeias.

Joaquim           Pode ser compadre… pode ser…; porém, a taxa de 157 assassinados por cada 100.000 habitantes do Brasil é muito…; assim disse, na TV, o José Garcia.

Zé Antonio     É mesmo compadre… mas é muito, o que deve-se fazer para diminuir?

Joaquim           Sei lá eu…, tudo isso deve ser culpa da crise econômica, eu acho, tendo emprego isso diminui a bessa.

Zé Antonio     Sei lá… uma enquete da TV Gazeta diz que 37,7% dos assassinos entrevistados nas cadeias, afirmaram que mesmo tendo dinheiro, continuariam matando.

Joaquim           Pois esta!

Zé Antonio     Sim, continuariam, as estatísticas, como diz a TV Alterosa, dizem que as nossas ações dependem 58% dos genes, 31% da educação e 11% da ocasião.

Joaquim           Puxa compadre, o meu 58% da genética diz que temos que tomar uma cervejinha lá no bar do Lalau.

Zé Antonio     Genética boa, … pois vamos.

 

Analise querido leitor, as conversas embaixo da árvore, num povoado que pouco mudou em cem anos. Mudaram porém, os assuntos e, principalmente, expandiu-se os horizontes.

Antigamente era a terra e o céu, a comadre e os amigos, agora são notícias de fora mal compreendidas e mal retratadas, tudo de segunda mão, tudo da TV e rádio.

Esqueceram, os caboclos retratados em 2017, que é a terra, o céu, a família e as ocorrências da vizinhança são que importam e fazem viver.

O que importa se os 17,31% dos neozelandeses tem o resfriado três vezes ao ano? (14,7% a mais que o ano anterior).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *