DIVIRTO-ME – 5/9/18

Divirto-me

Zé Ninguém se diverte, vendo uma apresentadora de um grande canal de TV invectivar solenemente contra as “fake news”. Estranhamente, ao longo de muitos anos, nunca a ouvi invectivando, mesmo que timidamente, contra qualquer tipo de notícias falsas.

De onde veio esta repentina adversão às “notícias falsas”?

É difícil saber, vamos apresentar algumas hipóteses:

  • a quantidade de notícias falsas aumentou abruptamente nos últimos anos;
  • a informática facilita a divulgação de notícias, incluindo também as falsas;
  • as “fake news” como são denominadas, com charme estrangeiro, substituíram as caboclas “notícias falsas”;

Qual será a verdadeira causa? Ou serão todas elas e algumas mais?

Com certeza, as “fake news” são mais perniciosas do que as “notícias falsas”. E bem faz o Congresso, a estudar medidas oportunas que impeçam a tramitação e difusão dessas informações.

Não se tem notícias sobre a eventual inclusão na Lei, em debate no Congresso, de algum dispositivo que além de combater as “fake news” inclua também algum instrumento que inibam as “notícias falsas”.

Certo é que as “fake news” têm vida difícil, se não curta, haja vista a enorme repercussão em meio à sociedade, da aversão profunda e visceral que essas notícias provocam. Todos os segmentos da sociedade brasileira parecem engajadas nesta louvável ação para desmascará-las e punir os seus autores. São igrejas, partidos, sindicatos e as mais diversas associações, que se arregimentaram voluntariamente nesta guerra santa contra a demoníaca “fake news”.

O Zé Ninguém não só aplaude e aprova, mas auspicia que nesta cruzada, se insira mesmo que marginalmente, alguma objeção ou obstáculo à difusão de “notícias falsas”.

Neste sentido, vem colaborando e desmentindo a notícia que o blog “ZÉ NINGUÉM COMO PRESIDENTE DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA” do último 31 de agosto, seria o último da série.

Lá vai portanto o desmentido, esse não será o último blog. O Zé Ninguém não sabe se a notícia do encerramento do blog foi uma “fake news” ferreteada pela nova legislação a respeito, ou uma simples “notícia falsa” de nenhum interesse.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *