A IMPRESSÃO QUE DÁ… – 12/1/17

a-impressao-que-da

A impressão que dá a burocracia é diversa de país para país, senão vejamos.

Em um país da África, que conheci muito bem, a burocracia que aí está é de pura ignorância da finalidade da mesma, se faz algo, é porque outros países assim o fazem, e as vezes com toque local, geralmente errado.

Veja-se por exemplo o nosso Tribunal de Contas (nome que se presta a equívocos) sendo que é na realidade órgão do Poder Legislativo para controlar contas do Poder Executivo.

Nesse país africano o “Tribunal de Contas” faz parte do Ministério da Justiça. É o Poder Executivo, portanto, que analisa as contas dele mesmo.

Em um país da Europa, a burocracia é um hábito antiguíssimo e ninguém pergunta agora para o que serve este dispositivo ou outro.

Somente que são tantos normas e regulamentos, são tantos que até São Francisco, se vivo estivesse, seria criminalizado por alguma infração. Podemos resumir que, neste país, infringir algum dispositivo legal é fácil, não infringir é difícil, dificílimo, quase impossível.

E no Brasil?

A impressão que dá… é que a burocracia resultante do estamento legal estatal (federal, estadual e municipal) visa exclusivamente inviabilizar o País.

Esta é a minha convicção pessoal, do Zé Ninguém, que nada entende de burocracia, mas sofre os seus efeitos deletérios, como também atinge e castiga a maioria do povo brasileiro.

Vou citar um exemplo ínfimo, ocorrido com um grande amigo do Zé Ninguém.

Por razões que desconheço, mas quase certamente para atender a uma burocracia dos EUA, o amigo do Zé Ninguém teve que abrir uma empresa na Flórida.

Pediu a uma empresa especializada de lá na sexta-feira e na terça-feira seguinte recebeu a documentação completa da constituição da empresa.

Será que no Brasil, um estrangeiro, lá de fora conseguiria abrir uma empresa em 24 horas? Entendidos na matéria afirmaram que nem em 24 dias conseguir-se-ia.

Pergunto, se lá conseguem, porque aqui não se consegue?

Será que a gravidade da terra no Brasil é diferente e esta diferença faz a diferença?

Ou será a pressão atmosférica?

Não sei, possivelmente deve ser o ciclo atmosférico desfavorável…

Ou será que o sistema métrico decimal que se usa no Brasil, em lugar do sistema de polegadas que se usa nos EUA, é que faz a diferença?

Não sei, mas deve existir alguma coisa cósmica, portanto irreversível, que faz que o Brasil na maioria das disposições burocráticas, cada uma de per si justificável, mas o conjunto totalmente injustificável, fazem com que, o País se torne inviável.

Deveria eu, portanto, torcer para este País? Deveriam as vítimas da burocracia os brasileiros torcer por “este” Brasil?

Se o estamento estatal, constituída na sua maioria por gente fina, formada, etc, não enxerga isso e portanto nada faz a respeito, porque eu, e milhões e milhões de brasileiros temos que aturar?

Em tempo, houve um governo que criou o Ministério da Desburocratização – Recriamo-lo.

Após a Reforma da Previdência, a Reforma das Leis Trabalhistas, a Reforma Tributária e a relevantíssima Reforma da Representação Política no Congresso, com o voto distrital por exemplo, seria oportuno que se crie uma REFORMA DA BUROCRACIA.

Precisamos portanto de uma entidade, um ministério talvez, que analise cada “obrigação” burocrática analisando se:

  • é necessário para a lisura dos procedimentos;
  • os benefícios são superiores ao custos;
  • contribui para o crescimento da economia e desenvolvimento da sociedade.

Sem este crivo, a burocracia torna-se, não somente desnecessária, mas até nociva.

O que pensa disso o amável leitor?

O que pensa fazer a respeito?

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *