JÁ É A SEGUNDA VEZ… – 24/8/17

Ja e a Segunda Vez

que terroristas, pobres, atacam lugares frequentados por Zé Ninguém (de vez em quando): a “promenade” em Nice e, ultimamente, a rambla em Barcelona.

Já não tenho muita vontade em viajar: aeroporto cheio de gente, voos sempre cheios, comida estandardizada, etc, etc…, e agora…? Vem também o terrorista pobre que, sem muito apetrechos e treinamento, somente roubando um carro…, pode fazer grandes estragos (leia-se massacre) mundo afora.

O Zé Ninguém está perplexo… brasilianamente falando… “qual é a deles?” Não vejo objetivo nenhum, objetivo racional claro; os objetivos dos loucos e semi loucos são de fato, inexplicáveis pela lógica.

Um amigo me informou que é o Estado Islâmico que está em guerra…

Guerra? Contra quem? É sempre o amigo que me informa, “são contra o consumismo, o estilo de vida ocidental, o imperialismo judaico-americano… etc”.

“Ora pois! Exclama o Zé Ninguém”, eu também me coloco contra o consumismo, contra o estilo de vida ocidental se nisso se inclui o próprio consumismo, o turismo desbragado e sem sentido, o materialismo, o falso progressismo que infesta a maioria das democracias ocidentais e um monte de outras incongruências. Também sou um grande opositor ao imperialismo judaico-americano (sei lá o que seria isso), sou contrário, então, a esse imperialismo, enquanto tal; porém apoiador intransigente de Israel e dos EUA por serem defensores além do próprio país da democracia e liberdade. Neste período trumpista estou meio confuso em relação ao executivo dos EUA.

Mas, enfim, o que quer, o Estado Islâmico, com os seus ataques…? Claro que não quer angariar solidariedade a sua (dele) causa.

É sabido, até pelo Zé Ninguém, que degolar inimigos não é a melhor política para angariar simpatias, ouso afirmar, até, que é contraproducente. Também Hitler e Stalin não procuravam angariar simpatias.

Outro que parece que não quer angariar simpatias mundo afora, é o tal de Kim Jong-un; vive ameaçando os Estados Unidos com bombas atômicas e misseis sempre mais poderosos. Isso não é lá coisa relevante de per si, o que é grave é que, para fazer as suas ameaças, ele obriga um povo inteiro a trabalhar sem FGTS e PIS/PASEP com pouco lazer e ainda por cima, andar uniformizado e militarizado, fazendo lembrar as paradas guerreiras nazistas (e comunistas). Enfim, um povo inteiro, escravizado para produzir canhões.

Benito Mussolini, a seu tempo, pediu aos italianos se preferiam “manteiga ou canhões” oficialmente se disse que o povo escolheu “canhões” e deu no que deu.

… Bem, Hitler e Kim Jong-un nem perguntaram.

 

1 Comentário

  1. Silvana Abdalla Rassi disse:

    Adorei Zé Ninguém. Parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *