TRISTE PAÍS… – 23/4/18

Triste Pais

O deputado federal Darcísio Perondi (MDB – RS) lamentou:

TRISTE PAÍS QUE TEM ESSES TRÊS POLÍTICOS À FRENTE DAS PESQUISAS ELEITORAIS

(Lula, Bolsonaro e Marina)

À justificada tristeza do deputado federal Darcísio Perondi, o Zé Ninguém acrescenta, pesaroso, outras:

  1. Tristeza suprema é ler que o Ministro do Supremo, Celso de Mello, depois de delongas infinitas (mais de dez anos) decide (ufá…) arquivar o processo (que envolvia um político).
  2. Tristeza constitucional é ler numerosos artigos sobre as vantagens imensas do voto distrital puro e constatar que não faz parte de nenhum programa de partido. (Será que não?)
  3. Tristeza criminal em saber que deputado eleito por uma sigla que pressupõe um programa, passe a seu bel prazer para outra sigla e outro programa à REVELIA DO ELEITOR. Não existiria tristeza nem crime, se o deputado trânsfuga se demitisse da sigla que o elegeu e se candidatasse, depois, com outra sigla e outro programa.
  4. Tristeza institucional em descobrir que a mesma Constituição de 1988 que alardeia que o voto é igual para todos, determina, com cara de pau, se a Constituição tivesse cara, que o voto é desigual (e muito).
  5. Tristeza em ver que o eleitor se manifesta sobre pessoas e não sobre programas.
  6. Tristeza em constatar que o eleitor se debruça sobre os nomes dos presidenciáveis e não sobre o DEPUTADO QUE DEVERIA REPRESENTAR OS SEUS IDEAIS E AS SUAS ASPIRAÇÕES NO CONGRESSO.
  7. Tristeza eleitoral em saber que permite-se (quem permitiu?) que deputado, em dado momento denominado alegremente de “janela partidária”, passe de um partido para outro.
  8. Tristeza é constatar que o eleitor não percebeu, ainda, que o sistema presidencialista que pressupõe um “salvador da pátria”, é um sistema não republicano e não inteligente.
  9. Tristeza policial é constatar que não se luta para que a polícia civil seja municipal e o seu chefe derivado de eleição (idem para outros cargos locais).
  10. Tristeza super suprema, é assistir a… nenhuma reação de quem quer que seja e que repare o absurdo do Ministro Lewandowski, presidir o Congresso para decretar o impedimento da Dilma Rousseff e, no mesmo momento, fazer com que a declarada criminosa, possa concorrer a cargos públicos

 

SÚMULA:

CRIMINOSOS PODEM CANDIDATAR-SE A CARGOS PÚBLICOS (1)

 

Assinado: Lewandowski (2)

 

NOTAS:

(1)     Oferece-se bons salários, boas instalações, pouco serviço, possibilidade de negócios e impunidade criminal.

(2)     Coadjuvado pelo luminar Renan Calheiros.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *